Fátima Fontes
  A Dança Oriental Árabe

 

A Dança é um caminho para despertar o corpo.

Como um instrumento, o "Corpo" pode ser estimulado através de sons, imagens e gestos.

Assim a dança começa a tomar forma e a expressar os nossos sentimentos em desenhos de movimentos.

Assistindo às mulheres orientais, observei que podemos aprender a dançar usando menos força nos movimentos, dada a naturalidade com a qual elas dançam .

Especialmente o shimmi que é tão tradicional na dança árabe, quando dançado (o shimmi) com os quadris soltos, reverberados, percebo que a beleza do movimento está na intensidade, não há esforço.

Sua dança internalizada é sentida e exteriorizada através de: ondulações e olhares. "Os gestos não são vazios, gratuitos, mas vivênciados por um corpo treinado a se mover com graciosidade.

Dançar com os "sentidos" despertos, faz com que nos misturemos ao som, ao lugar e ao espaço. Conquistando esta qualidade de movimentos, inserimos em nossos corpos a verdadeira dança, criando comunicação; primeiro com você mesma e depois com as pessoas que estão assistindo.

Com o tempo desfrutamos do prazer de dançar.

A Dança e a Dançarina se fundem, desaparecendo a divisão entre elas, nascendo uma única expressão.

" A Dançarina se torna a Dança".

Fátima Fontes

<<< volta